Saúde e Medicamentos

 

 

Encontre rapidamente o que procura:


  usando o Googl

This free script provided by JavaScript Kit

Doenças Medicamentos Dependências Lazer Cuidados Corporais Cuidados Alimentares Primeiros Socorros Vida e Saúde Medic. Alternativos



Página Principal Voltar

Micoses

O que são?

As micoses são infecções da pele causadas por fungos dermatófitos, microorganismos que se alimentam de células mortas da pele (estrato córneo) e da queratina das unhas e cabelo. Sobrevivem em ambientes fechados, ao mesmo tempo quentes e húmidos.

As micoses podem ser superficiais, cutâneas ou subcutâneas. São, também denominadas "Tinea", um termo do latim que significa verme, seguido da região envolvida. As mais comuns são a Tinea pedis, Tinea corporis, Tinea cruris, Tinea capitis, Tinea unguium (micoses cutâneas) e Tinea versicolor (micose superficial). Os microorganismos envolvidos nestas infecções são muito variados. Estão envolvidos dermatófitos do género Microsporum, Trichophyton e Epidermophyton.

As duas principais micoses são o pé-de-atleta e as micoses das unhas (onicomicoses), que partilham os mesmos fatores de risco:

  • Andar descalço em espaços públicos e húmidos, como balneários e piscinas;

  • Má higiene dos pés e do calçado (meias e sapatos);

  • Calçado que não permita ventilação;

  • Não secar adequadamente os pés;

  • Diabetes, alterações da circulação e alterações do sistema imunitário.

Tinea pedis ou Pé-de-atleta

É uma das micoses mais conhecidas. O pé-de-atleta deve o seu nome por ser muito comum entre desportistas, pelo uso prolongado de calçado favorável à acumulação de humidade e porque frequentam duches públicos e balneários. Contudo, qualquer pessoa pode desenvolver este tipo de micose.

A infecção pode localizar-se em qualquer zona do pé, mas é mais frequente nas pregas entre os dedos. Causa comichão, descamação, maceração e fissuras na pele, acompanhado de um odor desagradável. A pele da sola dos pés engrossa, ficando irritada e causando comichão. Quando se coça, há risco de, através do toque, a infecção passar para outras zonas do corpo, como axilas. 

Tipos de Pé-de-atleta:

Localização

Evolução dos sintomas:
Formas ligeiros a graves

 
  • Interdigital

Desenvolve-se nos espaços interdigitais, mas pode-se estender a todo o dedo.

Comichão, escamar da pele, mau odor, inflamação dolorosa, fissuras, pele espessa e morta.

Forma mais comum

  • Plantar

Envolve a planta, calcanhar e laterais do pé.

Pele a escamar, zonas de pele mais espessas, fissuras, inflamação e vermelhidão.

 
  • Vesicular

Formam-se pequenas bolhas no peito e planta do pé.

Bolhas entre e os dedos e nos dedos, peito e planta do pé, pele morta, feridas com comichão, bolhas com pus infectadas por bactérias.

Forma mais grave, mas menos comum

Tinea unguium ou Onicomicoses

É uma infecção mais comum em indivíduos com mais de 60 anos ou com outras infecções fúngicas. A presença da infecção é denunciada primeiro por um pequeno ponto branco ou amarelo por baixo da unha. À medida que os fungo avançam, a unha fica descolorada, baça, mais espessa, quebradiça e deformada, podendo haver dor. Em certos casos, a unha pode cair.

Tinea corporis

É mais frequente na puberdade e aparece nos braços, ombros, troco, cabeça e pescoço, na pele que não tem pêlos. As lesões são ovais, eritematosas e escamosas, com contorno inflamado, sendo o centro da lesão hipopigmentado (branco) ou acastanhado. É transmissível  por contacto com outras pessoas ou animais e de outras zonas do corpo. O excesso de peso e o stress são fatores predisponentes.

Tinea cruris

É comum no sexo masculino depois da puberdade. É transmissível de pessoa para pessoa. As lesões são inflamatórias e escamosas, com uma margem ativa que se estende para baixo, desde a região inguinal até à face interna da coxa ou múltiplas em anel. Por vezes podem afetar a região do períneo e perianal e afetar os folículos pilosos.

Tinea capitis

É mais comum em crianças. É uma lesão circular no couro cabeludo com uma área restrita de alopécia. Pode ser transmitida pelo contacto direto, por escovas de cabelo, roupa ou por animais domésticos.

Tinea versicolor ou Pitirase versicolor

É uma infecção superficial causada por Pittyrosporum orbiculare. É mais comum em indivíduos imunodeprimidos ou com a pele excessivamente oleosa ou com hiperhidrose. As lesões são despigmentadas e aparecem no peito. abdómen e costas em zonas ricas em glândulas sebáceas. Ficam mais escuras e visíveis no Inverno e mais claras no Verão.


Prevenção de futuras infecções

  • Perder peso para reduzir as zonas interdiginosas no caso de infecções do corpo;

  • Manter a pele limpa e seca, tendo um cuidado especial em secar as zonas interdiginosas e interdigitais depois do banho;

  • Usar toalhas diferentes para secar a zona afetado e o resto do corpo;

  • Evitar o contacto com outras pessoas ou animais a até à cura;

  • Preferir roupa e calçado que permita manter  a pele seca, sem transpirar;

  • Não partilhar roupa nem sapatos;

  • Usar antitranspirantes nos pés;

  • Usar chinelos em locais públicos.

Tratamento

Tratamento não farmacológico:

Dependendo da zona a tratar deve-se:

  • Lavar diariamente a área infectada;

  • Secar muito bem sem friccionar;

  • Usar toalhas diferentes para limpar outras zonas do corpo;

  • Cortar o cabelo, pêlos e unhas envolvidos;

  • Trocar diariamente as meias;

Medicação:

  • Clotrimazol 1% creme, pó ou spray

Indicações:

Dermatomicoses das mãos, pés, corpo e zona inguinal (face interna das coxas), pitiríase versicolor e eritrasma.

A pitiríase versicolor caracteriza-se por manchas delgadas amarelo-esbranquiçadas no tórax e abdómen.

O eritrasma apresenta manchas castanho-amareladas na face interna das coxas.

O creme pode ser, ainda, usado na vulvite da mulher (zona genital exterior) e balanite do homem (afeta a glande prepúcio do pénis).

O Pó é usado na profilaxia de recidivas de infecções interdigitais (Pé-de-atleta). 

Contra-indicações:

Alergia ao clotrimazol ou qualquer um dos componentes do medicamento. Durante a gravidez ou estando a amamentar só deve ser usado por indicação médica.

Precauções:

Quando usado para tratamento para tratamento da vulvite ou balanite pode reduzir a eficácia do preservativo ou espermicidas.

Posologia:

Deve ser aplicada uma pequena quantidade 2 a 3 vezes ao dia com ligeira fricção para melhor absorção. A duração do tratamento é de:

Dermatomicoses

3-4 semanas

Eritrasma

2-4 semanas

Pitiríase versicolor

1-3 semanas

Vulvite e Balanite

1-2 semanas

O tratamento deverá prolongar-se mais 1 a 2 semanas após desaparecimento dos sintomas para garantir que não aparecem recidivas.

O Pó deve ser aplicado nas meias e nos sapatos para evitar re-infecções.

Efeitos secundários:

Alergia, comichão e vermelhidão.

  • Bifonazol 1% creme ou spray

Indicações:

Dermatomicoses das mãos, pés e do corpo pitiríase versicolor.

A pitiríase versicolor caracteriza-se por manchas delgadas amarelo-esbranquiçadas no tórax e abdómen. 

Contra-indicações:

Alergia ao bifonazol ou qualquer um dos componentes do creme ou spray. Durante a gravidez ou estando a amamentar só deve ser usado por indicação médica e não aplicar na zona do peito. Não deve ser usado por crianças pequenas. 

Precauções:

Usar com precaução se teve reação alérgica com outros antifúngicos.

Posologia:

Deve ser aplicada uma pequena quantidade uma vez ao dia, de preferência à noite, com ligeira fricção para melhor absorção. A duração do tratamento é de:

Dermatomicoses

3 semanas

Pitiríase versicolor

2 semanas

O tratamento deverá prolongar-se mais 1 a 2 semanas após desaparecimento dos sintomas para garantir que não aparecem recidivas.

Efeitos secundários:

Dermatite de contacto, comichão, vermelhidão, esfoliação cutânea, eczema e irritação cutânea. Os efeitos são passageiros e desaparecem interrompendo o tratamento.

Miconazol 2% creme

Indicações:

Dermatomicoses das unhas e interdigitais e dermatite das fraldas dos bebés.

Contra-indicações:

Alergia ao miconazol ou qualquer um dos componentes do creme. Durante a gravidez ou estando a amamentar só deve ser usado por indicação médica.

Posologia:

Deve ser aplicada uma pequena quantidade 2  vezes ao dia com ligeira fricção para melhor absorção na zona infectada e na área envolvente. A duração do tratamento é de  2 a 6 semanas. 

O tratamento deverá prolongar-se mais 1 a 2 semanas após desaparecimento dos sintomas para garantir que não aparecem recidivas.

Efeitos secundários:

Vermelhidão, irritação ou sensação de queimadura que desaparece reduzindo o número de aplicações.

Miconazol + Hidrocortizona creme

Ao medicamento anterior é adicionado uma cortisona que tem como finalidade reduzir a comichão. Devido a este componente, este creme não pode ser suspendido abruptamente. O número de aplicações deverá ser reduzido lentamente e substituído por Miconazol isolado até cura completa.

Tolnaftato 1% creme

Indicações:

Para tratamento tópico de Tinea pedis, Tinea cruris, Tinea corporis, Tinea barbae, Tinea manum causada pelos fungos dermatófitos. 

Contra-indicações:

Alergia ao tolnaftato ou qualquer um dos componentes do creme. Durante a gravidez ou estando a amamentar só deve ser usado por indicação médica.

Posologia:

Deve ser aplicada uma pequena quantidade 2 vezes ao dia com ligeira fricção para melhor absorção. A duração do tratamento é de 2 a 3 semanas, mas se houver espessamento da pele prolongar até 6 semanas.

Efeitos secundários:

Irritação moderada da pele.

Cetoconazol 2% champô

Indicações:

Infecções da pele por fungos ou leveduras, tanto dou couro cabeludo como de áreas extensas do peito ou face:

  • Caspa;

  • Dermatite seborreica (Manchas castanhas e avermelhadas com descamação branco amarelada na face e tronco);

  • Pitiríase versicolor (Manchas irregulares no tronco de cor branca ou acastanhada).

Contra-indicações:

Alergia ao cetoconazol ou qualquer um dos componentes do champô. Durante a gravidez ou estando a amamentar só deve ser usado por indicação médica.

Posologia:

Lavar com o champô as zonas afetadas, deixando atuar 5 minutos.

Para tratamento da caspa e dermatite seborreica fazer o tratamento duas vezes por semana  durante 4 semanas. Para tratamento da pitiríase versicolor lavar uma vez por dia durante 5 dias.

Efeitos secundários:

Sensação local de queimadura, prurido ou irritação local. O cabelo pode ficar oleoso ou seco.

Iodopovidona solução

 

Piritiona Zinco creme

Indicações:

Caspa e dermatite seborreica.

Posologia:

Aplicar 1 a 3 vezes ao dia na pele afetado do corpo, da face ou couro cabeludo.

Efeitos secundários:

Irritação cutânea e dermatite de contacto.

 

Outros tratamentos:

AF24®  Spray, Clic&Go e Pó probiótico

Dispositivo médico que funciona pela diminuição do pH da pele, alterando as condições ótimas de desenvolvimento dos fungos. As bactérias do pó probiótico impedem que os esporos dos fungos reinfetem a pele saudável.

Indicações:

Pé-de-atleta (tinea pedis)

Posologia:

Aplicar 2 vezes ao dia durante 2 semanas.

Efeitos secundários:

Sensação temporária de ardência.

Precauções:

A pele das grávidas e mulheres a amamentar pode ser mais sensível, pelo que estes produtos devem ser utilizados com precaução. Em crianças pode ser aplicado sob vigilância.

 

 

Prevenção do Pé-de-atleta:

  • Lavar os pés frequentemente com água e sabão e secar muito bem, sobretudo entre os dedos;

  • Não partilhar o calçado com outras pessoas;

  • Usar calçado que permita a circulação de ar, em pele ou tecido; Evitar calçado de borracha;

  • Usar sandálias ou chinelos com o tempo quente;

  • Usar chinelos em balneários públicos e piscinas;

  • Manter as meias secas; Usar meias de algodão ue absorvem a humidade;

  • Mudar de sapatos com frequência;

  • Aplicar pós antifúngicos nos pés ou sapatos para absorver a humidade;

  • Evitar andar descalço em locais húmidos.

 

 


 

Doenças Infecciosas Doenças Crónicas Medicamentos Dependências Lazer
Hepatite
Meningite
SIDA
Vacinas
Varicela
Zona
Alergias
Asma
Calendário Polínico
Colesterol
Diabetes
Gota
Hipertensão
Osteoporose
Próstata 
Analgésicos
Antigripais
Cansaço
Vitaminas
Álcool
Drogas
Tabaco
Repelentes de Insetos
Sol/Protetores
Viagens
Cuidados Corporais Dor e Febre Primeiros Socorros Vida e Saúde Medicamentos Alternativos
Cabelo
Caspa
Celulite
Pele Seca
Piolhos
Queda de cabelo
Dor Dentes
Dor Garganta
Dor Menstrual
Dor Muscular
Febre
Emergências
Envenenamentos
Picadas de Animais
Animais domésticos
Auto-medicação
Bebé
Contraceptivos
Emagrecer
Impotência Sexual
Menopausa
Vacinas
Acupuntura
Chá
Fitoterapia
Homeopatia
Naturopatia
Osteopatia
Quiropráxia
Tisanas
Dermatologia Aparelho Digestivo Aparelho Respiratório Aparelho Genito-urinário Olhos e Ouvidos
Acne
Afta
Calos
Dermatite
Diarreia
Frieiras
Hematomas
Herpes Labial
Micoses
Queimaduras
Varizes
Azia
Enjoos
Fígado e Vesícula
Flatulência
Hemorróidas
Lombrigas
Obstipação
Congestão Nasal
Constipação
Gripe
Ressonar
Tosse
Candidíase
Herpes Genital
Inf. Urinária
Olhos
Ouvidos

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 13-Out-2014