Saúde e Medicamentos

 

 

Encontre rapidamente o que procura:


  usando o Googl

This free script provided by JavaScript Kit

Doenças Medicamentos Dependências Lazer Cuidados Corporais Cuidados Alimentares Primeiros Socorros Vida e Saúde Medic. Alternativos



Página Principal Voltar

Afecções dos Olhos

 
 

Situações que podem afetar os olhos

Nem todas as situações podem ser tratadas por auto-medicação. Algumas situações são potencialmente graves e implicam a ida ao médico para um correto diagnóstico:

  • Dor ocular;

  • Fotofobia (Não suporta a luz);

  • Visão alterada;

  • Pupilas alteradas (dilatadas, contraídas ou alteradas);

  • Olho vermelho repentino;

  • Trauma no olho ou junto dele;

  • Crianças pequena e idosos;

  • Diabéticos;

  • Agravamento ou não melhoria após 2 a 3 dias de tratamento de situações supostamente menos graves;

  • Situações graves em geral.

As situações mais comuns que podem afetar o olho são:

Conjuntivite

A conjuntiva é a membrana que cobre o olho e a face interior da pálpebra. Uma conjuntivite é uma inflamação causada por microorganismo ou de origem alérgica.

A conjuntivite alérgica afeta, normalmente, ambos os olhos e está associada a outros sintomas alérgicos,  enquanto que, a de origem vírica ou bacteriana pode afetar ou não. 

Conjuntivite :

Comichão

Lacrimejar

Secreção

Alérgica

muito

moderado

Esbranquiçada

Vírica

pouco

muito

Transparente

Bacteriana

pouco

moderado

Amarelo/esverdeada

As conjuntivites infecciosas são comuns na infância. Nos adolescentes e adultos podem ocorrer conjuntivites transmitidas sexualmente. 

A conjuntivite bacteriana cura-se em 7 a 10 dias. Mas poderão complicar-se e originar situações que requerem intervenção do médico. As secreções devem ser limpas com água e compressa esterilizada. poderá usar-se um colírio com antibiótico.

A conjuntivite vírica ligeira e moderada, por vezes ligada a constipações, não necessita de tratamento especial. O alívio dos sintomas é conseguido com o uso de lágrima artificial.

As conjuntivites alérgicas podem ser agudas,  sazonais ou perenes. Em qualquer dos casos é essencial descobrir qual é o agente causador para poder evitá-lo. Para alivio dos sintomas pode-se recorrer a soluções calmantes, de lavagem ocular e a lágrima artificial. Em situações mais graves usam-se anti-alérgicos e descongestionantes tópicos.

Nas situações mais graves deve-se sempre recorrer ao médico. 

Irritação Ocular

A irritação ocular resulta da presença de uma substância estranha no olho, uso de lentes de contacto, sol, vento, substâncias irritantes (líquidos de limpeza), fumo, etc.

Apresenta-se como vermelhidão, associado a lacrimejo e sensação de corpo estranho.

A primeira medida consiste em retirar o agente irritante com água ou soro fisiológico e a aplicação de uma solução calmante ou lágrimas artificiais para aliviar o desconforto. Se após 48h não houver melhorias deve-se recorrer ao médico.

Blefarite

É uma inflamação das pálpebras que pode afetar um ou os dois olhos. Tem origem diversa e pode estar associado a conjuntivite. Quando não é convenientemente tratada pode tornar-se crónica.

características: Vermelhidão, ardor, irritação, comichão, sensação de areia nos olhos e aparece "caspa" nas pestanas. Pode acontecer inchaço e alguma fotofobia sem afetar a visão e sintomas de olho seco.

Trata-se limpando as pálpebras com compressas humedecidas com água morna ou produtos próprios para a higiene ocular. Aliviam-se os sintomas com lágrimas artificiais.

Hordéolo ou Treçolho

É uma  infecção de um folículo de uma pestana  ou nas glândulas da pálpebra. Verifica-se um inchaço ligeiro, vermelhidão e dor. Em alguns dias aparece um nódulo com pus que desaparece na maioria das vezes sem tratamento.

Aplica-se compressas quentes para estimular os mecanismos fisiológicos. Por vezes requer a aplicação de uma pomada oftalmológica com antibiótico.

Olho seco

Tem várias origens: 

  • Idade - A produção de lágrima diminui com a idade e a menopausa.

  • Medicamentos - Contraceptivos, diuréticos, anti-histamínicos, anti-depressivos, tranquilizantes, etc. diminuem a produção lacrimal.

  • Doenças - Artrite reumatóide, lúpus. etc.

  • Condições ambientais - Tempo seco.

  • Lentes de contacto.

  • Outra afecções oculares - Conjuntivite, blefarite.

Sintomas: Sensação de areis nos olhos, ardor, comichão, vermelhidão, desconforto e fotossensibilidade. Por vezes desencadeia superprodução de lágrima.

Tratamento: Usa-se lágrima artificial ou geles lubrificantes.

Topo

 
 

 


 

Doenças Infecciosas Doenças Crónicas Medicamentos Dependências Lazer
Hepatite
Meningite
SIDA
Vacinas
Varicela
Zona
Alergias
Asma
Calendário Polínico
Colesterol
Diabetes
Gota
Hipertensão
Osteoporose
Próstata 
Analgésicos
Antigripais
Cansaço
Vitaminas
Álcool
Drogas
Tabaco
Repelentes de Insetos
Sol/Protetores
Viagens
Cuidados Corporais Dor e Febre Primeiros Socorros Vida e Saúde Medicamentos Alternativos
Cabelo
Caspa
Celulite
Pele Seca
Piolhos
Queda de cabelo
Dor Dentes
Dor Garganta
Dor Menstrual
Dor Muscular
Febre
Emergências
Envenenamentos
Picadas de Animais
Animais domésticos
Auto-medicação
Bebé
Contraceptivos
Emagrecer
Impotência Sexual
Menopausa
Vacinas
Acupuntura
Chá
Fitoterapia
Homeopatia
Naturopatia
Osteopatia
Quiropráxia
Tisanas
Dermatologia Aparelho Digestivo Aparelho Respiratório Aparelho Genito-urinário Olhos e Ouvidos
Acne
Afta
Calos
Dermatite
Diarreia
Frieiras
Hematomas
Herpes Labial
Micoses
Queimaduras
Varizes
Azia
Enjoos
Fígado e Vesícula
Flatulência
Hemorróidas
Lombrigas
Obstipação
Congestão Nasal
Constipação
Gripe
Ressonar
Tosse
Candidíase
Herpes Genital
Inf. Urinária
Olhos
Ouvidos

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 18-Set-2014