Saúde e Medicamentos

Saúde AnimalPerguntas/Respostas 

Lazer

Cuidados quando se vai de viagem

Para que uma viagem de trabalho ou de férias seja feita nas melhores condições de saúde, há que tomar precauções na sua preparação, assim como durante a estadia e após o regresso.

Resumindo, os cuidados a seguir envolvem:

Cuidados gerais:
Cuidados específicos para condições especiais:
  • Sempre que possível, as mulheres grávidas e os bebés até um ano de idade devem evitar deslocações para as áreas tropicais.
Quais são os cuidados gerais
São os condicionados pelo ambiente. Envolvem as precauções relativas a:
Meio de transporte

Avião - é o meio de transporte mais cómodo e rápido mas sujeita o viajante a grandes aglomerados nos aeroportos, ao ruído, a variações de temperatura e de pressão atmosférica, que são fatores de stress, que diminuem as defesas do organismo e facilitam o aparecimento de náuseas, indigestões, fadiga e insónia.

Há doenças agravadas pela redução de pressão atmosférica no interior do avião (ex.: asma, doença cardíaca, diabetes, problemas circulatórios e bronquite), pelo que os doentes devem aconselhar-se previamente com o médico, quanto à necessidade de alterar os esquemas de tratamento e aos cuidados a ter. Inclui-se neste grupo especial, o diabético, que quando atravessa vários fusos horários, deve adequar o horário das refeições e o da toma dos medicamentos (ex.: insulina), para que não fique descondensado. 

Todos os medicamentos devem ser transportados na bagagem de mão, porque no porão estão expostos a temperaturas muito baixas que os alteram, embora sem que se veja.

Automóvel - as digressões de automóvel por terras desconhecidas obrigam a cuidados acrescidos com o carro (ex.: garantia do estado de pneus, travões, cintos de segurança, luzes, seguros,...), conhecer o estado das estradas, locais de abastecimento de combustível, de Centros de Saúde, etc.

Não deve ser esquecida a mala de primeiros socorros devidamente preparada com medicamentos e outros acessórios (ex.: gaze, algodão, adesivo, desinfetante, tesoura, etc.).

Enjoo do movimento

Quem habitualmente enjoa, deve tomar medicamentos para o evitar, iniciando a toma meia a 1 hora antes da partida, continuando a tomar, com o intervalo de 4 ou 6 horas, de acordo com o medicamento, por forma a que o efeito se mantenha durante toda a viagem. Nas horas antes da viagem, deve ainda tomar outras precauções, como não ingerir alimentos gordos, líquidos em excesso, etc. Se o vómito surgir, não vale a pena tomar medicamentos, pois já não serão eficazes.

Sol

A prevenção de queimaduras solares é obrigatória. A pele das áreas expostas deve ser protegida com protetores solares adequados para o tipo de pele e zona do globo. O uso de chapéu é obrigatório. Quem esteja a tomar medicamentos que provoquem fotossensibilização deve evitar a todo o custo, a exposição solar.

Efeitos do SolProtectores Solares

Calor

Se for muito intenso, ocasiona suor abundante com a perda de água e de sais minerais. O equilíbrio recompõe-se com a ingestão em abundância de água, sumos, sopas e outros líquidos, para evitar a desidratação.

Humidade atmosférica

Associada à transpiração, favorece o aparecimento de infecções cutâneas por fungos. Deve manter uma boa higiene, com banho diário e aplicação de pó de talco ou loção hidratante nas regiões do corpo mais sensíveis, conforme transpire muito ou, a pele tenha tendência a secar.

Altitude

A pressão atmosférica baixa com a altitude e pode provocar mal-estar em doentes cardíacos e pulmonares, doentes com fraqueza, dificuldade respiratória, tonturas, dores de cabeça, vómitos e edema pulmonar.

Quando a situação é grave, o doente deve ser imediatamente transportado para locais de menor altitude.

Banho exterior

Só as piscinas com águas tratadas são seguras. Os rios, as ribeiras e os lagos estão normalmente contaminados com fezes e possuem larvas, capazes de penetrar na pele, provocando doenças, como a shistosomíase. No mar, há correntes marítimas desconhecidas e perigosas, peixes venenosos, anémonas, corais, tubarões e outros. Mesmo num local considerado seguro, deve sempre calçar sapatos protetores quando se banhar.

Animais

Os insetos transmitem muitas doenças, daí a necessidade de prevenir as suas picadas. Existem ainda outros animais que podem transmitir doenças, como a raiva.

Cuidados com alimentos e bebidas 

A temperatura elevada facilita a contaminação dos alimentos e das bebidas que, quando ingeridos, provocam infecções intestinais, febre tifóide, poliomielite, hepatite A ou infecções parasitárias. Os alimentos contaminados podem não apresentar alterações de aspecto, parecendo nas devidas condições de conservação, o que aumenta o risco.

Como evitar a contaminação de alimento e bebidas
  • Devem ser mantidos abaixo dos 10° C (no frigorífico), ou acima dos 60° C;
  • Não devem ser deixados entre os 15-40° C (à temperatura ambiente), por mais de 4 horas;
  • Devem ser consumidos logo após terem sido cozinhados (a fervura destrói os gérmenes)
  • A fruta deve ser bem lavada com água tratada, mesmo se a comer descascada;
  • O leite deve ser bebido logo após a fervura, embora quando a sua temperatura seja adequada;
  • A água deve ser tratada pela fervura ou cloretada (lixívia). Filtrar não é suficiente. Pode melhorar o sabor da água tratada adicionando umas pedrinhas de sal;
  • O gelo deve ser feito de água fervida, engarrafada ou após ter sido tratada por químicos;
  • Os gelados podem estar contaminados, pelo que devem ser evitados;
  • O chá e o café devem ser preparados com água fervida ou engarrafada, e ingeridos ainda quentes;
  • Há peixes e mariscos que em certas alturas do ano, contêm toxinas. Informe-se no local e não os ingira;

Se não tiver a certeza da pureza dos alimentos e das bebidas, coma quantidades pequenas de cada vez, para que caso ingira toxinas ou bactérias, o teor seja fraco e de fácil neutralização pelo ácido do estômago.

Diarreia

Pode ser causada pela ingestão de alimentos ou bebidas contaminados, mesmo que apresentem aspecto normal. A principal e mais grave consequência da diarreia é a desidratação, que deve ser evitada com a ingestão de muitos líquidos, de preferência ricos em sais e açúcar. Não se deve tomar medicamentos antidiarreicos que parem os movimentos intestinais, a não ser por indicação médica.

 

Manter um comportamento social adequado

Entenda-se por comportamento social adequado, que devem ser tomadas medidas para a prevenção da contração de infecções transmitidas sexualmente: SIDA, gonorreia, sífilis ou hepatite B.

As medidas aconselhadas são:

  • Usar sempre preservativos nas relações sexuais;
  • Evitar contactos sexuais ocasionais e múltiplos;
  • Evitar práticas sexuais que misturem sangue ou sémen.

Se suspeita de uma doença transmitida sexualmente, deve ser observado imediatamente pelo médico.

Intervenção contra a malária

A malária é uma doença mortal que afeta um número elevado de pessoas. É transmitida pela picada de mosquitos infectados, sendo essencial fazer a sua prevenção antes de se deslocar para uma zona endémica (onde existe a malária).

Os cuidados essenciais são:
  • Proteção contra a picada dos mosquitos e outros insetos;
  • Não andar na rua entre o pôr e o nascer do Sol;
  • Usar roupa comprida e com mangas, de cores claras, pouco garridas;
  • Aplicar repelente de insetos na pele exposta;
  • De noite, deve permanecer em locais com ar condicionado e com redes protetoras nas janelas e portas;
  • As camas devem ter redes mosquiteiras e, antes de se deitar, deve verificar se existem mosquitos no seu interior ou se as redes estão rotas. A rede pode ser impregnada de repelente de insetos e o interior pulverizado;
  • Pulverizar a casa com inseticida.

Repelentes de Insectos

Aos primeiros sinais de febre suspeite de malária. Se não houver médico, comece a fazer um tratamento intensivo.

Prevenção com medicamentos:

Os medicamentos para prevenir a malária variam com a região para onde se viaja. Informe-se com o seu farmacêutico ou na Consulta do viajante.

Os medicamentos e as doses são selecionados de acordo com:

  • local da viagem;
  • alergias;
  • gravidez.

Um medicamento não adequado pode provocar problemas graves e não proteger contra a malária. Siga os conselhos do seu farmacêutico ou médico.

Cuidados acrescidos relativos a condições especiais

Os idosos, doentes crónicos, mulheres grávidas e bebés devem ter cuidados acrescidos quando em viagens prolongadas. Os viajantes incluídos nos grupos mencionados devem consultar o médico antes de partir, e aconselhar-se sobre todas as medidas para prevenir possíveis problemas ou o agravamento das doenças durante a viagem.

Medicamentos na Bagagem

Os doentes crónicos não devem interromper a sua medicação durante as férias e como tal devem levar consigo toda a medicação habitual. 

Além desses é necessário precaver alguma situação e, para tal, deverá levar-se uma mala com medicamentos para algumas situações mais comuns.

  • Deve-se levar a quantidade necessária para toda a viagem e algum excedente.
  • Deve-se levar uma receita médica em que constem os medicamentos que toma e a posologia.
  • Deve levar uma declaração médica para eventual apresentação junto das autoridades aeroportuárias.
  • Os medicamentos devem ir nas embalagens originais e devidamente acondicionados.
  • No avião os medicamentos devem ir na bagagem de mão para evitar as temperaturas extremas do porão.
  • Nas viagens de carro os medicamentos não devem ir no porta luvas porque aquece muito.
  • No destino os medicamentos devem ser mantidos num local fresco e seco.
O tempo em Portugal continental
Tempo Porto
Tempo Coimbra
Tempo Lisboa
Tempo Faro
fonte: www.tempo.pt

 

Que medicamentos levar quando se vai de férias?

Problemas de Saúde mais frequentes no Verão:

Problemas de Saúde Medicamentos indicados

Substâncias

Doenças crónicas Medicação habitual  
Queimadura Solar Protetor solar, Loção hidratante/calmante Protetores de índice protetor elevado, geles/cremes com Aloé Vera, glicerina, etc
Analgésico Paracetamol, Ibuprofeno
Queimadura pelo Calor Pomada cicatrizante , ácido algínico, esteárico e sórbico, etc
Analgésico Paracetamol, Ibuprofeno
Desidratação Sais de re-hidratação Carteiras de pó ou pacotes de líquido com Bicarbonato de sódio, cloreto de potássio, cloreto de sódio e glucose.
Picadas de Inseto Anti-histamínico Clemastina, difenidramina
Repelente de insectos Loções ou sprays repelentes
Pequenas feridas Desinfectante Solução de iodopovidona, clorhexidina
Pomada cicatrizante Pomadas com dexpantenol, óxido de zinco e vitaminas A e D, etc.
Diarreia Obstipante Loperamida
Substituto da flora intestinal Cápsulas com Lactobacillus casei
Obstipação Laxante Lactulose, Bisacodilo, Sene, Farelo de Trigo, etc.
Azia Antiácido Carbonato de cálcio, Carbonato de di-hidróxido de alumínio e sódio, etc.
Enjoo de movimento Anti emético e antinauseoso Dimenidrato, meclozina
Irritação nos olhos descongestionante oftálmico Água de hamamellis, oximetazolina, soro fisiológico
Micoses Antimicótico Clotrimazol, Terbinafina
Herpes Labial Antivírico Aciclovir
Outras situações Pensos rápidos, adesivo, ligaduras, compressas, etc  
  Preservativos  

Voltar

Doenças Infeciosas
Hepatite
Meningite
SIDA
Vacinas
Varicela
Zona




Cuidados Corporais
Cabelo
Caspa
Celulite
Pele Seca
Piolhos
Queda de cabelo


Dermatologia
Acne
Afta
Calos
Dermatite
Diarreia
Frieiras
Hematomas
Herpes Labial
Micoses
Queimaduras
Varizes

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 08-out-2015