Saúde e Medicamentos

 

 

Encontre rapidamente o que procura:


  usando o Googl

This free script provided by JavaScript Kit

Doenças Medicamentos Dependências Lazer Cuidados Corporais Cuidados Alimentares Primeiros Socorros Vida e Saúde Medic. Alternativos



Página Principal

Cuidados Alimentares

Comer ou não comer?

A alimentação correta é muito importante para uma boa saúde. A alimentação deve ser variada e adequada às necessidades de cada um no que diz respeito à energia fornecida e nutrientes essenciais.
Não existem alimentos perfeitos e completos, assim como, não existem alimentos maus e bons, apenas uns que devem ser consumidos com moderação e outros com maior frequência.

A alimentação deve ser:

  • Completa - Conter alimentos de todos os grupos;

  • Equilibrada - Seguir a pirâmide alimentar;

  • Variada - Variar os alimentos dentro do mesmo grupo.

Ligado a uma alimentação desequilibrada estão relacionados algumas doenças como é o caso de:

  • Hipertensão arterial;
  • Diabetes mellitus;
  • Colesterol elevado;
  • Obesidade;
  • Gota;
  • Osteoporose.

 

 

Hortaliças Azeite Pão Cereais Massas Batata Arroz Água


Hipertensão Arterial

A Hipertensão Arterial é a elevação da pressão arterial acima dos valores considerados normais (140/90 mm Hg). A pressão constantemente alta pode causar lesões em vários órgãos como cérebro, coração, rins e olhos. A hipertensão é um dos fatores de risco das doenças cardiovasculares, que é uma das principais causas de morte nos Países desenvolvidos.

As causas da hipertensão não são conhecidas, mas é resultado de vários fatores conjugados: excesso de peso, alimentação desequilibrada, fatores genéticos e medicamentos.

Alimentação:

Não deve comer Deve comer
Gorduras saturadas (natas e manteiga)
Queijos  e leite gordos
Bacon, e enchidos Fritos
Sal em excesso
Fruta fresca, legumes, vegetais e sopa
Carnes magras (frango, peru, coelho), as partes mais magras do porco, borrego, vaca (lombo, costeletas) e peixe
Leite e derivados magros
Cozidos e grelhados
 

Topo


Diabetes Mellitus

A Diabetes Mellitus é uma doença caracterizada pelos níveis elevados de glicose (açúcar) no sangue. Esses valores elevados de glicose devem-se à incapacidade do organismo controlar a taxa de glicose devido à produção de insulina pelo pâncreas não ser a mais adequada.

Existem dois tipos de Diabetes Mellitus:

  • Tipo 1 (Insulina - dependente)
    O pâncreas não produz insulina e é necessário injetar insulina no organismo. Desenvolve-se no início da vida.

  • Tipo 2 (Não insulina - dependente)
    O pâncreas não produz a quantidade necessária de insulina. No início da doença pode ser controlada com dieta e recorrendo a anti-diabéticos orais. Desenvolve-se sobretudo nas pessoas mais velhas.

A glicose em excesso é prejudicial para os rins, olhos e nervos e aumenta o risco de doenças cardiovasculares. É fundamental controlar a glicémia recorrendo a medicação conjugada com uma alimentação equilibrada.

Alimentação:

Não deve comer Pode comer com moderação Deve comer
Bolos, bolachas e chocolates
Refrigerantes
Mel, compotas, etc.
Arroz, batata e pão branco 
Banana, castanha, figo, uvas, papaia e diospiro
Iogurtes, manteiga e enchidos
Massas, feijão, grão, ervilhas, favas, lentilhas e pão de mistura
Carnes magras e peixe
Vegetais, hortaliças e fruta fresca

Topo


Colesterol elevado

O Colesterol existe naturalmente no organismo e é essencial para a produção de hormonas, de vitaminas e na construção das paredes das células. A maior parte do colesterol é produzido no fígado e somente 30% provem da alimentação.

O excesso de colesterol é prejudicial porque se deposita nas paredes das artérias, podendo obstruí-las. Mas existem vários tipos de colesterol associados a lipoproteínas transportadoras: as LDL transportam o colesterol do fígado para as células e deposita-se nas paredes das artérias e as HDL que transportam o colesterol para o fígado para ser eliminado.

Existem vários fatores que contribuem para o colesterol elevado: fatores genéticos, doenças renais, hepáticas ou da tiróide, medicamentos, assim como, o estilo de vida (sedentarismo, alimentação desequilibrada, etc.).

Alimentação:

Não deve comer Pode comer com moderação Deve comer
Natas, manteiga, banha
Leite e derivados gordos
caju e coco 
Carnes vermelhas, pato, vísceras, charcutaria
Bolos
Chocolates e bolachas
Maionese e molhos
Batata, feijão e grão
Ovos
Abacate
Amendoins e azeitonas
Banana, castanha, uvas e diospiro
Azeite, óleo de soja e óleos vegetais
Leites e derivados meio gordos e magros
Frango, peru, coelho, partes magras de vitela e porco
Peixes gordos: sardinha, salmão e truta
Pão de mistura e arroz
Legumes, vegetais, fruta e sumos de fruta naturais

Topo


Obesidade

A obesidade é caracterizada pelo excesso de tecido adiposo no organismo. Existem 3 tipos de obesidade:

  • Obesidade androíde, mais comum no homem em que a gordura se acumula a nível do abdómen;

  • Obesidade ginóide, típica da mulher, a gordura acumula-se nas ancas e coxas;

  • Obesidade mista, em que a gordura de distribui uniformemente por todo o corpo.

A gordura acumula-se debaixo da pele e também na cavidade abdominal. Essa gordura entra na corrente sanguínea e contribuí para outros fatores de risco associados ao excesso de peso: Diabetes Mellitus, colesterol elevado, gota, disfunção biliar, artrite e AVC (Acidente Vascular Cerebral).

O ter excesso de peso não quer dizer que se tenha obesidade, pode-se ter massa muscular. Para avaliar é preciso ter em conta outros fatores como medida da cintura e anca, pregas cutâneas e massa gorda total. Uma forma rápida de avaliar o peso é pelo IMC (Índice de Massa Corporal).

Para a obesidade podem contribuir vários factores:

  • Desequilíbrio alimentar;

  • Fatores hormonais;

  • Medicamentos;

  • Doenças;

  • etc.

Para prevenir e tratar a obesidade deve-se ter sempre uma alimentação equilibrada e evitar certos alimentos:

Não deve comer Pode comer com moderação Deve comer
Açúcar e derivados
Álcool
Carnes e peixes gordos Molhos
Refrigerantes, gelados
Banha, manteiga
Massas, pão, batata, leguminosas
Frutos secos, banana, figo, castanha, uvas e papaia
Carnes magras
Frutos frescos, legumes e vegetais
Azeite para cozinhar e limão para temperar.

Além disso é fundamental obedecer a certas regras:

  • Comer devagar;
  • Comer várias vezes ao dia;
  • Fazer refeições intermédias ligeiras;
  • Consumir hidratos de carbono complexos e menos simples;
  • Consumir fibras;
  • Comer saladas e legumes nas refeições principais;
  • Comer fruta fresca;
  • Conhecer o valor calórico dos alimentos;
  • Beber 1,5L de água por dia;
  • Praticar exercício físico.

Topo


Osteoporose

A Osteoporose é uma doença caracterizada por fragilidade dos ossos, devido à sua estrutura se ter tornado mais porosa.
O que confere dureza ao osso é o Cálcio que é obtido através da alimentação. No início da vida é necessário Cálcio para fortalecer o esqueleto e no final para evitar que este se enfraqueça.

Existem vários fatores que contribuem para a osteoporose:

  • Idade;
  • Dieta pobre em cálcio;
  • Falta de exercício físico;
  • Tabaco e álcool;
  • Consumo excessivo de café e sal;
  • Fatores genéticos;
  • Pouca exposição solar;
  • Menopausa.

Como prevenir na alimentação:

Não deve comer Deve comer
Café, chá, álcool e refrigerantes. Leite, iogurtes, queijo
Feijão seco, amêndoas, nozes, figos secos
Bróculos, couves e legumes de folhas verdes
Salmão, cavala, sarda, atum, sardinha, etc.

Topo


Gota

A gota resulta da acumulação do ácido úrico nas articulações. Manifesta-se por dores agudas e inflamação nas articulações e sobretudo no dedo grande do pé.

A gota tem uma certa componente hereditária e predomina nos homens de meia idade. Mas a sua origem é sobretudo devido à elevada concentração de ácido úrico no sangue, que resulta do metabolismo das proteínas.

Quando o ácido úrico não é eliminado eficazmente pelo rim e fica retido na circulação, acumula-se nos tecidos e articulações onde forma cristais que originam a gota.

A alimentação é muito importante para evitar esta doença:

Não deve comer Pode comer com moderação Deve comer
Carnes jovens de porco, caça
Enchidos, vísceras (fígado, mioleira e rins)
Peixes gordos (sardinha, arenque, salmão, truta, cavala, bacalhau, peixe-espada e ovas)
Feijão, grão, lentilhas, ervilhas, espinafres
Café, bebidas alcoólicas
Azeitonas
Chocolate e cacau
Carne de novilho, frango, peru, coelho, borrego Mariscos
Espargos, couve-flor, cogumelos
Fruta fresca e sumos de fruta
Frutos secos
Lacticínios
Ovos
Legumes
Arroz, massa, batata, pão branco
Carnes velhas (vaca, galinha e pato)
Chás
Beber 1,5L a 2L de água por dia

Topo


Desidratação

A água é o constituinte principal do corpo humano e é essencial para o funcionamento do organismo. Sem água a regulação da temperatura não é eficaz, a digestão é difícil, a circulação sanguínea é afetada e os rins não produzem urina.

A quantidade de água disponível para a funções vitais do organismo resulta do equilíbrio entre a quantidade que entra: nas bebidas e alimentos e a quantidade que sai: nas fezes, na urina, na transpiração e na respiração.

Sinais de desidratação:

  • Menor quantidade de urina e de cor mais escura;

  • Boca e olhos secos;

  • Diminuição da transpiração;

  • Fraqueza muscular e cansaço;

  • Tonturas e atordoamento.

Há que compensar as perdas de água antes que apareça o sinal de sede ou que surjam os sinais de desidratação.

Necessidades diárias de água por dia

Os idosos e as crianças são os grupos mais vulneráveis à desidratação. Os idosos porque ingerem poucos líquidos durante o dia e o reflexo de sede estar diminuído. As crianças porque têm uma grande superfície corporal em relação à sua massa, perdendo mais rapidamente água por transpiração e devido à baixa massa corporal a quantidade de água do organismo ser, também, menor. 

A ingestão de água deve ser aumentada em determinadas situações:

  • Atividade física intensa;
  • Temperaturas altas;
  • Altitude elevada;
  • Febre;
  • Vómitos;
  • Diarreia;
  • Mulheres a amamentar.

 

Idade

Quantidade de Água Recomendada por Dia
(Obtida nos alimentos e bebidas)

0 a 6 meses 100 a 190mL/Kg de peso
6 meses a 1 ano 800mL a 1 L
1 a 2 anos 1,1 a 1,2 L
2 a 3 anos 1,3L
4 a 8 anos 1,6L
9 a 13 anos 2,1L (Rapazes) 1,9L (Raparigas)
+ de 14 anos 2,5L (Rapazes) 2,0L (Raparigas)

Topo

 

 


 

Doenças Infecciosas Doenças Crónicas Medicamentos Dependências Lazer
Hepatite
Meningite
SIDA
Vacinas
Varicela
Zona
Alergias
Asma
Calendário Polínico
Colesterol
Diabetes
Gota
Hipertensão
Osteoporose
Próstata 
Analgésicos
Antigripais
Cansaço
Vitaminas
Álcool
Drogas
Tabaco
Repelentes de Insetos
Sol/Protetores
Viagens
Cuidados Corporais Dor e Febre Primeiros Socorros Vida e Saúde Medicamentos Alternativos
Cabelo
Caspa
Celulite
Pele Seca
Piolhos
Queda de cabelo
Dor Dentes
Dor Garganta
Dor Menstrual
Dor Muscular
Febre
Emergências
Envenenamentos
Picadas de Animais
Animais domésticos
Auto-medicação
Bebé
Contraceptivos
Emagrecer
Impotência Sexual
Menopausa
Vacinas
Acupuntura
Chá
Fitoterapia
Homeopatia
Naturopatia
Osteopatia
Quiropráxia
Tisanas
Dermatologia Aparelho Digestivo Aparelho Respiratório Aparelho Genito-urinário Olhos e Ouvidos
Acne
Afta
Calos
Dermatite
Diarreia
Frieiras
Hematomas
Herpes Labial
Micoses
Queimaduras
Varizes
Azia
Enjoos
Fígado e Vesícula
Flatulência
Hemorróidas
Lombrigas
Obstipação
Congestão Nasal
Constipação
Gripe
Ressonar
Tosse
Candidíase
Herpes Genital
Inf. Urinária
Olhos
Ouvidos

Página da autoria de Laurentino Moreira (farmacêutico) - Última atualização em 18-Set-2014